O poder de um clamor



Por: Vinícius Maciel |

 A nossa vida com Deus é um relacionamento. Nós contamos tudo a Ele, damos bom dia e pedimos um bom dia, o dia inteiro estamos em contato com o Espirito Santo, pedindo para que ele nos auxilie e agradecemos pelos livramentos que nós nem mesmos sabemos qual é. Ou pelo menos deveria ser assim.

Quando mais jovem sempre ouvi com um certo receio as pessoas que pregavam sobre as distrações das redes sociais. Afinal, eu praticava evangelismo por meio delas e claro, também era um dos "distraídos". 

Nunca vi problema nas utilizações das redes sociais, vejo como um instrumento político, entretenimento e de boa ajuda profissional. Contudo, a utilização dessas ferramentas deve ser medida, em fator de importância, com outras atividades que devemos praticar em nosso dia-a-dia. 

Há um tempo atrás nós víamos filmes de 2 ou mais horas, mais um tempo depois, passamos a consumir videos de até 10min no Youtube, hoje vemos 30 segundos, e consumimos ainda mais conteúdo. Nos acostumaram com coisas rápidas e muita informação, em um curto período de tempo.  

A ansiedade não é algo tão simples que aparece do nada, ela é construída através dos hábitos. Hoje muitos de nós sofremos com isso, mas enquanto não chega ao nível mais severo ninguém se preocupa de fato, com o que pode acontecer.  

Grande parte de nós, povo de Deus, estamos perdendo a nossa essência, trocando um relacionamento eterno por 30 segundos de entretenimento. Estou falando besteira? Vamos lá: 

A primeira coisa que você faz quando acorda é: 

1- Orar e agradecer a Deus pelo dia

2- Ler a palavra e meditar

3- Cantar cânticos a Deus

4- Pegar o celular e usá-lo enquanto desperta

Responda para si mesmo*


Assista também: "Não desanime de orar"


O clamor é a alma gritando pela volta do amor em nosso coração, ele é ouvido e atendido quando vem do fundo do coração. Livre de toda vaidade, com arrependimento e fé. 

Nós só percebemos que estamos longe de Deus, quando precisamos dele, de uma resposta, e quando por falta de intimidade não conseguimos ouvir a sua voz. É neste momento que achamos que ele nos abandonou.

Imagina você conhecer alguém hoje e exigir que ele entre e dê opinião na sua vida... Não é bem assim que funciona. 

Felizes são vocês, irmãos missionários, que estão mais próximos do criador do que muitos de nós, em "situação confortável". O nosso grito é o mesmo mas em circunstâncias diferentes.

Nossa geração grita por alguém que vê de longe, por que nós nos afastamos. Quem sofre por amor a Cristo, clama e sabe que Deus sempre estará por perto. 

A semelhança nas duas situações, é que o criador ouve os dois lados. Se você está longe de Deus grite, clame por Ele, por experiência própria, ele jamais lhe deixará sozinho, Ele te estenderá a mão, e você não conseguirá explicar tamanho amor que irá sentir em seu coração. Ele aliviará as suas feridas que a distância lhe trouxe, e esse será o momento de você decidir que nunca mais, irá trocar a eternidade por segundos de prazer ou por qualquer outra coisa. 

Aos irmãos missionários, que estão em todas as partes do mundo, saibam que as suas lutas geram frutos que transcendem gerações, as suas lutas são as nossas lutas, e que Deus nunca deixou de ouvir o clamor de vocês. Estão em um lugar de honra, poucos na história terão tantas pedrinhas na coroa. Sigam firmes, na esperança de encontrar o nosso criador, todos os seus esforços geram frutos para o reino, todos os dias. 

“Qual de vocês, se seu filho pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se pedir peixe, lhe dará uma cobra? Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai de vocês, que está nos céus, dará coisas boas aos que lhe pedirem!" Mt: 7:9-11


Foto de Luis Quintero no Pexels

Postar um comentário

0 Comentários