Mãos a obra e olho na guerra!

Por: Aline Barcellos

Neemias 4.17

Os que estavam edificando o muro, e os carregadores que levavam as cargas, cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a sua arma;

V. 18:

e cada um dos edificadores trazia a sua espada à cinta, e assim edificavam. E o que tocava a trombeta estava no meu lado.

Todos nós que fazemos algo para Deus, corremos o risco de estar trabalhando com as duas mãos, e não com uma mão estar trabalhando e na outra segurar a arma. Não se desespere, se analise.

É muito perigoso estarmos com as duas mãos em obras e nenhuma estar às armas, assim como não estar com nenhuma das mãos à obra é bastante perigoso também, pois todos podemos ser úteis para o Reino de Deus e trabalhar a favor disso.

Quando fazendo algo para Deus, corremos o risco de achar que apenas fazê-lo é suficiente, mas não é assim que funciona.

Para Deus devemos fazer o melhor, assim como Deus diz a Josué "Esforça-te" ou em outras palavras "Dê o seu melhor", e corremos o risco de apesar de estarmos fazendo, não estarmos dando o nosso melhor ou não estarmos fazendo corretamente.

Podemos estar às obras e sem às armas, ou estarmos com às armas e sem às obras. O grande problema disso é quando os inimigos atacam.

A Bíblia fala que toda pessoa que tem Jesus como amigo, tem o mundo por inimigo (Tiago 4:4). Esse mundo fala tanto do sistema desse mundo que vivemos que vai totalmente contra os valores e princípios do Reino de Deus, pois jaz no maligno (1 João 5:19), ou seja, quando assumimos nossa posição no campo de batalha, estejamos certos, ataques do inimigo virão, mas Deus garantiu que estaria conosco e nos deixou com quais armas devemos lutar nessa luta que não vemos, mas que acontece, nessa guerra invisível, mas que nesse exato momento acontece (Efésios 6:12).

Podemos estar às obras, mas se em uma de nossas mãos não estiver as armas, sinto muito em nos dizer (porque eu também me incluo), seremos alvos fáceis. Estaremos fazendo para Deus, mas não fazendo corretamente, estaremos trabalhando, mas sendo vulneráveis e colocando pessoas em risco, afinal, nossa vida não sustenta apenas as nossas vidas, mas a vida de muitas outras pessoas, quando estamos vulneráveis, corremos o risco de que o trabalho em nossas mãos também fique.

Esse texto não é para colocar medo, é por vivência que digo isso, porque corremos o risco de esquecer dessa guerra espiritual que acontece quando estamos à obra. Mas não tenha medo, estando a obra ou não isso vai acontecer, é natural de todo cristão que Jesus aceitou, afinal, se temos Jesus como Amigo (ainda beeem!), temos por inimigo o mundo.

Jesus já sabia disso, nos deixou as armaduras descritas em Efésios 6:

14. Portanto, estejam preparados. Usem a verdade como cinturão. Vistam-se com a couraça da justiça

15. e calcem, como sapatos, a prontidão para anunciar a boa notícia de paz.

16. E levem sempre a fé como escudo, para poderem se proteger de todos os dardos de fogo do Maligno.

17. Recebam a salvação como capacete e a palavra de Deus como a espada que o Espírito Santo lhes dá.

18. Façam tudo isso orando a Deus e pedindo a ajuda dele. Orem sempre, guiados pelo Espírito de Deus. Fiquem alertas. Não desanimem e orem sempre por todo o povo de Deus.

Que peçamos a ajuda de Deus nessa guerra, porque Ele é o nosso General Fiel que nunca falhou.

Estejamos apostos, porque essa guerra já iniciou, não tenha medo e não recue. Com Vigilância, Oração e Jejum, sairemos vencedores, e que não nos esqueçamos de orar pelo Povo de Deus, porque nosso Guia é o Espírito Santo, Ele é nosso Guia Eterno.

Assim como em Neemias está escrito, assim a ordem e o alento são para nós: "O nosso Deus pelejará por nós." (Neemias 4:20)

Façamos nossa parte e o que nos cabe, vigiando, orando e jejuando. O que nos cabe façamos nós, nos revistamos com a Armadura de Deus para batalha, mas o que não conseguirmos fazer depois de ter dado o nosso melhor, Ele fará por nós.

Sigamos à Voz do nosso General, a guerra já iniciou há tempos, mas se perdemos uma batalha, levantemos e sacudamos a poeira da queda e recomecemos. A guerra não acabou, e em nome de Jesus, do nosso Grande General, venceremos, não porque em nós há força, mas porque Ele nos capacita e é a Própria Força.

E a Armadura, já vestiu? Já empunhou a Espada do Espírito? Já está trabalhando?

Que a Graça de Deus seja abundante em nós, Ele é Fiel para nos garantir a chegada na nossa Canaã Eterna, onde Ele irá nos recompensar, mas onde nossa maior recompensa será no Aconchego do Seu Abraço.

Não desista, Ele disse que estaria conosco e está.

Avante, a guerra não pode parar.

Se você caiu, eu te ajudo a levantar, se eu cair, você me ajuda a levantar, porque na realidade ajudaremos um ao outro, porque o Médico presente cura alma, corpo e mente e se houver ferimentos, Ele nos cura

Soldados não abandonam outros soldados, nosso General nos ensinou assim. Ele nos fortalecerá e prometeu estar conosco até o fim.

E então, estamos o que temos em nossas mãos?

 



Foto de Pixabay no Pexels

Postar um comentário

0 Comentários