Onde foi parar a empatia?




Por Aline Barcellos |

João 13.15: Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.

Jesus é o maior e melhor exemplo pra tudo. Se quisermos saber se estamos indo bem em nossa caminhada cristã, devemos nos perguntar: em meu lugar, Jesus faria isso, diria isso? Se a resposta for sim, bem, então estamos o seguindo e fazendo o que Ele faria.

O sofrimento que nos acontece, não é motivo para não sermos empáticos, é mais um motivo para assim o sermos, para nos colocarmos no lugar do outro e sermos humanos.
Mas onde foi parar a empatia?

Há muito tempo a humanidade se diz colocar no lugar do outro, desde que não a atrapalhe, ou desde que haja o benefício para si próprio, mas virtude mesmo é se colocar no lugar do outro quando nós corremos o risco de sair perdendo.



Jesus sempre se colocou no lugar das pessoas, e fez isso literalmente quando se sacrificou por nós na Cruz, assumindo sobre si os nossos pecados. Mas também foi empático quando se compadecia do sofrimento das pessoas, quando se movia de intima compaixão, como no caso da viúva de Naim, onde Jesus viu que ela já tinha perdido seu marido e que estava indo sepultar seu filho, mas Jesus se moveu tanto de íntima compaixão por ela, que parou o cortejo e ressuscitou o menino.
 Jesus também foi empático quando se compadeceu por Marta e Maria, e pelo tanto que os amava, chorou pela morte de seu amigo Lázaro.

Em todos os momentos Jesus foi empático.

Jesus não era meio humano e nem meio Deus, Ele assumiu a forma humana 100%, mas não deixou de ser 100% Deus, embora tenha abdicado de todos os benefícios que tinha no Céu para morrer por nós, nos provando que Seu Amor por nós é verdadeiro.

Jesus é o maior exemplo de empatia, mas onde foi parar a nossa?

Como cristãos, devemos fazer a nossa parte, vivendo de acordo com o que Ele nos disse. Porque Ele nos deu o exemplo, para que como Ele, nós façamos. Servindo as pessoas, amando as pessoas, e fazemos isso quando nos colocamos no lugar delas, quando saímos da nossa própria bolha de sabão que nos instalamos para estarmos protegidos dos problemas dos outros, mas o que a gente custa a acreditar é que nossa bolha de sabão é tão frágil, assim como nós.
Que se colocar no lugar dos outros não seja algo distante, mas um ato de amor, assim como Jesus fez por nós. Que nos compadecer e ajudar as pessoas nos faça ver que também precisamos de ajuda, mas que também precisamos ajudar.

O ato de bondade e de amor não pode parar.

A empatia não foi a nenhum lugar, ela continua sendo dada gratuitamente por Deus a quem se disponibilizar a usar e a quem se interessar, pois não flui de nós mesmos, mas de Deus. A empatia verdadeira é apenas com Ele, mas Ele nos dá e nos ensina a usar a empatia.
Que peçamos a Deus graça para perdoar, graça para amar e graça para sermos empáticos, para que assim como Ele fez, façamos nós também.



Postar um comentário

0 Comentários